MPF denuncia venda de cigarros e medicamentos contrabandeados na Feira de São Joaquim

Acusados atuavam a pelos menos 6 anos no comércio livre

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça Federal quatro integrantes de uma associação criminosa que atuava, há pelo menos seis anos, na comercialização de cigarros contrabandeados e de medicamentos falsificados na Feira de São Joaquim.

De acordo com o MPF, Gerre de Jesus, José Carlos Andrade, Leandro Gomes e Lucimeire Gomes eram fornecedores de medicamentos, anabolizantes e cigarros contrabandeados e abasteciam boa parte desse “mercado” em Salvador.

Segundo o procurador da República Ruy Mello, as investigações comprovaram “além da relação de compra e venda dos produtos ilícitos entre os acusados, a existência de forte vínculo associativo, para facilitar a execução dos ilícitos, assegurar o fornecimento das mercadorias aos clientes finais e garantir a impunidade dos crimes cometidos por eles”, ressaltando a existência de associação criminosa.

As denúncias têm como base a investigação iniciada em 2012 pelo MP Estadual, que evidenciou também a prática de crimes federais, em maio de 2018, cumprindo mandados de busca e apreensão em Salvador, especialmente na Feira de São Joaquim e no município de Santo Antônio de Jesus. Na ocasião, quatro pessoas foram presas em flagrante e diversos documentos, cigarros contrabandeados, bem como medicamentos falsificados ou de venda proibida no Brasil, foram apreendidos.

Hoje (9), no estabelecimento comercial de Gerre, foram apreendidas: 280 caixas de Cloridrato de Sibutramina Monoidratada; 20 caixas de Dietary Supplement, chamado Lipo6 Black da Nutrex; 93 caixas de Menthol Balm, da Qing Liang You; e uma caixa contendo medicamentos diversos, tais como Androlic, Metandrostenolona e Lipostabil. Já na loja dos irmãos Leandro, Lucimeire (e Luciene) foram apreendidos: 334 pacotes de cigarro de marcas estrangeiras diversas (Hobby, Mix, Gold Seal, Bellois Bleau, Djarum Black, R7, Meridian, Mighty, Gift, US Mild, Broadway Suave e Broadway King), procedentes de Paraguai, Uruguai e Indonésia, tendo sido avaliados em R$ 16,7 mil. Em outra loja, de propriedade de Edilon Carvalho, foram apreendidos 137 pacotes de cigarro, além de 40 carteiras de cigarros avulsas, totalizando 1.410 maços, avaliados em R$ 7 mil.

Uma outra investigação oriunda da Operação Feira ainda segue em andamento na Polícia Federal, o MPF acompanha o caso.

Acompanhe o Caderno de Notícias no Facebook, no Instagram e no Twitter.

Carregar mais em Polícia

Vejam também

Bahia recebe reunião nacional dos chefes de Polícia Civil

Chefes de polícia dos 26 estados e do Distrito Federal se reúnem entre esta quarta-feira (…