Câmara discute consequências do Escola Sem Partido

Audiência pública promovida por Marta Rodrigues debaterá também Educação Domiciliar

Nesta segunda-feira (10), a Câmara Municipal de Salvador discutirá em audiência pública o desarquivamento, no início deste ano, do projeto Escola Sem Partido, pela Câmara dos Deputados, e suas consequências para a educação pública no Brasil. Também está no tema da discussão a proposta de Educação Domiciliar, em tramitação no Congresso Federal. O evento acontecerá no Centro de Cultura, às 8h30, e será transmitida ao vivo pela TV Câmara de Salvador (canal 61.4).

Organizada pela Frente Baiana Escola Sem Mordaça, que completou dois anos no dia 10 de abril deste ano, em parceria com a vereadora Marta Rodrigues, líder do PT, a audiência pública vai reunir representantes da sociedade civil, estudantes, sindicatos e professores de universidades.

A vereadora explica que o projeto Escola Sem Partido surgiu em 2014 como um movimento conservador para atender à elite brasileira e reduzir o acesso da população pobre e negra a uma educação de qualidade. “É um projeto que surge nitidamente para impedir o pensamento crítico, impedir que os estudantes questionem e se envolvam politicamente e não exerçam a cidadania, proibindo a liberdade de expressão, criminalizando a atividade dos professores e colocando em xeque a qualidade do ensino”.

Acompanhe o Caderno de Notícias no Facebook, no Instagram e no Twitter.

Carregar mais em Política

Vejam também

Joaquim Levy pede demissão do BNDES

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy…